• José Rosa

MALBEC WORLD DAY

O mundo celebra o Malbec World Day - Dia Mundial do Malbec. A data 17 de abril foi estabelecida desde 2011 pela Wines of Argentina, entidade responsável pela imagem do vinho argentino no mundo, como o dia para festejar sua casta emblemática. Poucos países produtores no mundo estão tão ligados a uma única casta quanto a Argentina à Malbec.

A origem do Malbec encontra-se no sudoeste da França. Ali era cultivada esta cepa e com ela se elaboravam vinhos denominados “de Cahors”, devido ao nome da região, reconhecidos desde os tempos do Império Romano.A conquista do mercado inglês foi um passo decisivo na valoração desta cepa na Inglaterra e no mundo. No final do século XIX, a praga de filoxera destruiu a viticultura francesa deixando o “Cot” (como também é chamada) no esquecimento, porém, a cultura de apreciação do Malbec já havia sido construída.


No final do século XIX, e pela mão dos imigrantes italianos e franceses, a vitivinicultura cresceu exponencialmente na Argentina e, com ela, o Malbec, que rapidamente se adaptou aos diversos terroirs, inclusive, se desenvolveu melhor do que em sua região de origem. Desta forma, com o passar do tempo e com muito trabalho, perfilou-se como uva insigne da Argentina.

A Malbec argentina se desenvolveu e ganhou fama mundial, sendo hoje Mendoza seu novo berço, de acordo com a Wines of Argentina. A variedade chegou lá em 1853, trazida da França pelo agrônomo Michel A. Pouget, a pedido do então presidente Domingo Faustino Sarmiento que deu o pontapé inicial em sua missão de transformar a industria de vinho do pais e melhorar a indústria vitivinícola local. Seguindo o modelo da França, esta iniciativa propunha incorporar novas variedades de cepas como meio para melhorar a indústria vitivinícola nacional. Hoje, se alguém pensa na Malbec, pensa logo num rótulo argentino para beber. Na Argentina a Malbec responde por 34,27% dos vinhedos plantados, segundo dados da WoA.

E o prestígio dos vinhos argentinos com a uva Malbec foi tamanho que eles criaram um dia dedicado todinho a ela, o Malbec World Day!

O MWD foi realizado pela primeira vez em 17 de abril de 2011. Nessa ocasião foram levados a cabo mais de 72 eventos em 45 cidades de 36 países.


Essa é uma celebração internacional dedicada inteiramente à uva mais representativa do país. E esta celebração não ficou restrita aos “hermanos”, com o apoio do Ministério das Relações Exteriores e Culto e à Corporação Vitivinícola Argentina esta cepa insigne é homenageada nas principais cidades do mundo. Como a cada ano, está prevista uma nutrida agenda que inclui atividades conceituais para consumidores, feiras de vinho para a imprensa e comerciantes, bate-papos com experts, degustações e promoções em lojas de vinho e restaurantes.

OS VINHOS

Catena Zapata

Não podemos falar em Malbec argentino sem citar Catena Zapata. Na década de ’90 um produtor argentino chamado Nicolas Catena Zapata decide plantar esta vinha a 1.500 metros acima do nível do mar e produz um vinho que é inserido nas listas dos melhores vinhos ao redor do mundo. Em 1996, o vinho Malbec obtém o reconhecimento que merece, graças ao Catena Alta Lunlunta 1996.


O Catena Zapata é indiscutivelmente o melhor e mais reverenciado produtor da Argentina, na opinião unânime de toda a imprensa especializada internacional, de quem recebe sempre as melhores notas e prêmios. A Wine Spectator, considerou este vinho como o “líder inquestionável de qualidade na Argentina”. Sua criação máxima, o raro Nicolás Catena Zapata, é o melhor e mais prestigiado vinho da Argentina, sem dúvida entre os grandes exemplares tintos do mundo.

O Catena Alta Malbec foi considerado o “Vinho do Ano” pela revista Gula, em 2005, e um dos “100 Melhores Vinhos do Mundo” para a Wine Spectator, em 2006.


O vinho Nicolás Catena Zapata é elaborado apenas em anos de safras excepcionais, pois é feito a partir de uma seleção dos melhores lotes de Cabernet Sauvignon e Malbec. É, portanto, um vinho de corte, elaborado a partir da mistura de uvas distintas. Sua apresentação aconteceu no ano de 2000, em cinco provas distintas, todas com degustação às cegas, nas quais ficou 4 vezes em 1º lugar e 1 vez em 2º.

Goulart Grand Vin Uco

Esta vinícola é comandada por uma brasileira e produz vinhos espetaculares. Erika Goulart, uma das brasileiras mais relevantes na produção de vinhos no mundo, é a proprietária da Bodega Goulart, na Argentina. Ela vive há mais de vinte anos no país, onde aprendeu sobre a viticultura e como produzir seus vinhos, que hoje são destaques. Aos 20 anos de idade, Erika Goulart descobriu uma escritura de vinhedos deixados por seu avô, o Marechal Gastão Goulart - militante da Revolução de 1932, exilado na Argentina após a derrota do movimento. Após a descoberta, Erika se muda para o local da vinícola, em Mendoza, onde inicia o trabalho com o terroir e começa a produção de uvas.


O Goulart Grand Vin Uco é um tinto estruturado, aveludado e rico em aromas que vão das geleias de frutas vermelhas às notas de café e tabaco traz a Malbec marcada pelo terroir único de Gualtallary. Nessa microregião, o solo misto de calcário e areia, pouco fértil, junto à pouca precipitação anual previne os excessos produtivos levando à concentração de compostos nas uvas. A elevada altitude deixa o clima mais fresco, o que facilita a retenção da acidez natural das uvas. Assim, elas são colhidas com equilíbrio e concentração, traduzindo-se em vinhos especiais.

A HARMONIZAÇÃO

Para quem ainda tinha dúvidas se vinho combina com churrasco aqui cai o mito, é óbvio que o vinho combina perfeitamente com carnes vermelhas grelhadas ou seja, um churrasco.

E principalmente com uma bela picanha, que é tradicionalmente uma carne macia, marmorizada e com uma capa de gordura, esta é a comida perfeita com o Malbec. Esta carne é relativamente fácil e rápida de preparar, deve-se manter a gordura para que o sabor e a maciez sejam acentuados. A picanha para churrasco pode ser preparada, basicamente, de três maneiras: ela poderá ser assada inteira para ser fatiada na hora de servir, da mesma forma que se faz com a maminha. Outra maneira é cortá-la para colocar no espeto. E a terceira maneira consiste em fatiá-la, em forma de bifes, os quais deverão ser assados em uma grelha, para serem servidos.

Um corte nobre que de qualquer forma que for preparado merece um vinho à altura. A sugestão de harmonização é com os Malbecs Argentinos, já citados nesta matéria, o Nicolas Catena Zapata e o Goulard Grand Vin Uco, por serem vinhos intensos, ricos em aromas, sabores e que contem, além de um bom corpo, acidez natural e essencial para este corte.


RECENTES

Blog Amigo

PESQUISA POR TAGS
ARQUIVOS
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon

As imagens apresentadas neste site são meramente ilustrativas. Os produtos apresentados estão sujeitos a variações de preço conforme determinação dos respectivos e-commerces. Qualquer dúvida favor entrar em contato através do
e-mail  contato@wineandfood.com.br